Seguir para o CLUBE DA TEOLOGIA


"SÓ SE LEMBRARÁ QUEM HOJE VIVER. SÓ HAVERÁ HISTÓRIA AMANHÃ SE HOJE VOCÊ A ESCREVER"

domingo, 23 de setembro de 2012

O QUE VOCÊ VAI DECIDIR?

É esse o mundo dos vivos,
dos que parecem viver
e daqueles que juram estar
mas só vive quem pode escolher.

É o mundo das escolhas
e das consequências que advém
porém, pior do que errar nele
é viver sem escolher o que convém.

Vivemos o reflexo do que escolhemos,
mas se não tenho opções pra decidir
então sou movimentado pelas cordas
de quem decide tudo por mim.

Seria então marionete sem fôlego
até minha fala seria do que dedilha as cordas
que mantém esse corpo suspenso e morto.

Quando escolhia só o mais fácil de outrora
não fazia história no mundo dos que decidem.
Não construí nada pra ser lembrado agora.

Quando passei a escolher quem me escolhe
recebi o prêmio dos que são amados como eu.
Pra saber agora de que lado vou ficar
escolho aquele que primeiro me escolheu.

Marcos André   

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

LIVRES PARA AMAR

Tem mais estrelas no céu dos apaixonados
o mesmo céu unido ao mar no horizonte
misturando a mesma cor sobre a fina linha.
Tinha mais que sete cores no arco dos amados.

Mas parece sina dos que amam
de amar quem amor não sente
que na mesma direção não olha.
nem sente a mesma dor que a gente.

Por mais que prendia
meu amor voava pra longe
escapava dos braços egoístas 
e andava souto na ventania

Só aprendi depois dos trinta
que é na liberdade dos corações 
que por amor se prendia,
e só na liberdade deles
fui achar o amor que queria.

Marcos André

domingo, 2 de setembro de 2012

A CAPA E A ARMADURA

Cansado estava da vida de engano
a fim de lançar mão da velha capa
e lançar fora sua religiosa aparência
para voltar a enxergar como outrora
e ver por cima daquela capa cinzenta,
que de todos sua face escondia
e que ao povo um outro se mostrava.

Por dentro a podridão fedia
escondido sob a capa sofria,
como um general que comandava
enquanto uma lepra o condenava.

Queria cura sem deixar a armadura
pois era belo o que por fora se mostrava.
Se por dentro não tinha vida
por fora vida aparentava.

Suas palavras tinham força
que estremecia e arrepiava
mas eram só delírios da capa
que sua vida controlava.

Mas ele sabia que um milagre acontece
logo após o cair da capa.
E após o tirar da armadura
é quando o que é podre aparece.

Mas não ganhará vistas da compreensão, 
se não andar na direção do que o chama
e não haverá pureza ainda da doença,
se não descer as águas da humilhação.

Marcos André